Dicas de Saúde

Pílula anticoncepcional


Marco na liberação sexual da mulher o método contraceptivo, apesar de antigo, ainda gera muitas dúvidas. Confira a entrevista com a ginecologista Maria Inês Gasperine


A pílula anticoncepcional foi disponibilizada no mercado mundial no final dos anos 50 com o principal objetivo de ser um método reversível contra gravidez indesejada. Desde então muitas mulheres passaram a utilizá-la pela sua eficácia e por enfim separar gravidez de sexo. Além disso, foi um marco na conquista da mulher por mais espaço no mercado de trabalho e igualdade de direitos. Mas, apesar de ser bastante difundido este método gera muitas dúvidas entre as mulheres, das mais jovens até as mais experientes. A ginecologista Maria Inês Pagano Gasperini responde a algumas perguntas freqüentes sobre a pílula anticoncepcional. Como a pílula anticoncepcional age no organismo? A pílula anticoncepcional impede que haja ovulação, ou seja, o óvulo não sai de dentro do ovário e, então, não tem como engravidar. Além disso há uma modificação na maneira como as trompas se movem e também no muco que fica no colo do útero. Por que muitas mulheres têm dificuldade de engravidar depois que param de tomar a pílula? Em geral não há dificuldade para engravidar depois da parada da pílula. O que acontece é que algumas mulheres já tinham dificuldades para engravidar antes de iniciar o uso da pílula e nem sabiam. Qual a relação entre o uso da pílula anticoncepcional e os problemas vasculares? A pílula anticoncepcional altera a coagulação do sangue e isto pode levar à formação de coágulos dentro dos vasos. A pílula também favorece o desenvolvimento das micro-varizes que são aqueles vasinhos pequeninhos que vão aparecendo nas pernas. Efeitos colaterais como fortes dores de cabeça devem ser considerados normais durante o uso da pílula ou devem ser investigados? Não, fortes dores de cabeça não são normais e devem ser imediatamente comunicadas ao médico que irá orientar o que fazer. Pílula x cigarro, Quais os riscos? O cigarro provoca vasoconstrição, e o estrogênio, que é um dos componentes da pílula, também tem este efeito. Esta dupla (cigarro + pílula) deixando os vasos sanguíneos mais estreitos facilita a formação dos coágulos que obstruem os vasos. Se esta obstrução ocorrer no coração a fumante sofrerá um infarto, se for numa artéria do cérebro terá um derrame ou AVC e assim por diante. Portanto, as fumantes devem ter muito cuidado com o anticoncepcional. Todas as mulheres podem tomar pílula anticoncepcional? Existem casos de mulheres em que a pílula não faz efeito? A pílula anticoncepcional é um remédio e não dá para usar a que a amiga ou a irmã toma só porque “ela não sente nada”. Cada mulher reage de uma maneira e é preciso consultar um médico pois em muitos casos não é recomendável o uso do anticoncepcional. A pílula faz efeito, ou seja evita a gravidez, desde que seja corretamente tomada. O uso da pílula anticoncepcional engorda? Antigamente as pílulas eram “muito fortes” e realmente engordavam, mas hoje esse efeito praticamente desapareceu. O que acontece é que muitas mulheres se queixam de aumento de peso mas esquecem que quando estão com um parceiro mudam seus hábitos, param de malhar, saem para jantar fora, fazem lanche, o namorado traz “aquele chocolatinho”, e a pílula é quem leva a culpa.


Avenida Capitão Castro, 4376 - Centro | Telefone: (69) 3316-2600 | E-mail: unimed@unimedvilhena.com.br
Copyright 2017 Unimed Vilhena. Todos os direitos reservados.